quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Desta vez saiu a lotaria!

Vitória Sport Clube - 0 ; Sporting Clube Portugal - 0
(6-7 após g.p.)
Prometedor começo do Sporting que logo aos 4 minutos criou a melhor oportunidade de golo nos 90 minutos de um jogo razoável, com ascendente leonino na primeira parte e vimaranense na segunda metade do encontro.
Valeu ao Vitória de Guimarães o seu guarda-redes brasileiro, Nilson, que em noite de inspiração conseguiu manter as redes invioladas até ao intervalo. È que para além da inaptidão (mais uma vez) de Yannick, no tal lance inicial em que perfeitamente enquadrado com a baliza consegue acertar na barra, as grandes defesas que efectuou a remates de Izmailov, o primeiro de cabeça e o segundo num bonito remate de calcanhar foram decisivas na manutenção do nulo. Nesta fase Romangoli, sempre muito activo e inspirado, era o verdadeiro dínamo de toda a manobra ofensiva da equipa sportinguista.
Não marcou o Sporting na sua melhor fase, não marcaria o Vitória no segundo tempo. Na realidade, apesar do controlo da equipa da cidade berço, oportunidades flagrantes construiu muito poucas e só João Alves fez brilhar Tiago num remate de longe, muito colocado, que o guardião desviou para canto. O Sporting não conseguia contrariar o sinal mais da equipa adversária, nem quando Paulo Bento promoveu substituições, colocando dentro de campo laterais mais ofensivos (Abel e Ronny) e mais um ponta de lança (Purovic). Assim, o jogo foi decorrendo sem grandes sobressaltos para as defesas. Ghilas ainda deu azo a algum burburinho, quando no último minuto se estatelou dentro da área com Tiago por perto, mas Bruno Paixão decidiu bem ao mandar seguir. Os adeptos vitorianos têm que se conformar que não usufruem das ofertas que outros (vestidos de vermelho ou rosa) parecem obter nesta prova…
Mandam as regras desta Taça da Liga que em caso de empate após o final do tempo regulamentar, o vencedor deverá ser encontrado através da transformação de pontapés da marca de grande penalidade. E aí o Sporting foi mais feliz quando ao vigésimo pontapé, João Alves, falha a baliza… Há quanto tempo não ganhávamos assim?
No Sporting destaco Romagnoli com uma primeira parte fantástica e claro Tiago que acabou por ser decisivo ao defender dois penaltys.
Nunca pensei vir a afirmar isto, mas tenho que convir que Bruno Paixão ontem foi capaz de efectuar uma boa actuação, julgando em conformidade com as leis do jogo. Até os envergonhados pseudo - protestos de Cajuda relativos ao tal lance do fim do encontro: “disseram-me que é penalty mas eu não vi a repetição na tv”, indiciam que no lance mais polémico decidiu bem.

3 comentários:

LEÃO DA ESTRELA disse...

Na lotaria das grandes penalidades, o grande prémio coube aos “Leões”, que assim se vingaram da derrota do jogo da pré-temporada, no Algarve, frente ao mesmo Vitória de Guimarães. Depois de eliminações nas grandes penalidades em jogos para a Taça de Portugal de anos anteriores, designadamente frente ao FC Porto e ao Benfica, já era tempo de o Sporting ganhar na lotaria.

8 disse...

Capicua 101

Parabens pelos primeiros 1000 visitantes.
Isto está a crescer.
Saudações leoninas

Visconde disse...

Uma nova competição, uma nova táctica e uma vitória por penalties, algo que não se via para as nossas bandas há muito.
O Sporting fez uma boa 1ª parte e podia ter ganho o jogo neste periodo, já que no 2º tempo e apesar do vitória ter dominado, não criou perigo, excepção a um remate fora da área.
Triunfo justo e sofrido em que a sorte da lotaria nos calhou a nós.
Saudações