sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

A Crise...

"O Cantinho do Morais"

Discutir a crise… Avançar com soluções para a crise… Criticar antigos e actuais dirigentes… Lançar já para a fogueira eventuais dirigentes do futuro… Manifestos, Congressos, Assembleias Gerais, Eleições Antecipadas… Ruído, muito ruído, pouco senso e ainda menor sensibilidade. Até no ruido se dizem e se fazem propostas válidas, mas perdem-se no meio de tanta algazarra.
Apesar de tudo, as crises, também têm coisas positivas, sendo que a principal implica a necessidade de pensar o Clube, obriga a reflectir sobre o que está mal ou sobre o que pode ser melhorado na sua estrutura, organização e funcionamento. É bom olharmo-nos no espelho de vez em quando e fazer um balanço introspectivo e auto-critico. Ajuda a crescer, ajuda a desenvolver e consequentemente a melhorar. Porém, tudo isto surgiu porquê? Porque a equipa de futebol não rendeu e continua sem render aquilo que era expectável. O mínimo de qualidade que qualquer Sportinguista exigente (que deverá sempre ser) pensava ser possível a esta equipa de futebol profissional atingir. E se a conjuntura da equipa de futebol fosse outra? A preocupação seria a mesma? Ou passava, com um passe de mágica, a estar tudo bem?
Mas, há sempre um mas, estamos a esquecermo-nos de alguns “pormaiores”. Se há muitas coisas dentro de casa por arrumar, outras há, exógenas ao clube, que não controlámos… E que são muito difíceis, ou mesmo impossíveis por meios lícitos, de controlar. Exemplos? Mais que muitos. Continuamos a assistir a inícios de campeonatos com arbitragens lastimosas, sendo que dos três grandes (só comparo com os nossos adversários na luta pelo titulo, porque tudo, verdadeiramente, gira em torno disso) o Sporting é claramente prejudicado. Umas vezes directamente, nos jogos que efectua, noutras, indirectamente, nos jogos em que os outros grandes são “ajudados”. Numas de forma flagrante, noutras de forma mais subtil. Quando já não se consegue remediar a coisa, o nível de arbitragem melhora. E porquê? Pergunto eu. Porque é que os árbitros, que são exactamente os mesmos, de um momento para o outro passam a saber arbitrar? Quando a diferença se torna confortável, nomeadamente para o FCP, que melhor tem sabido aproveitar esse facto (porque o outro nem com as ajudas lá vai) e a liderança está segura… No “Apito Dourado” já todos ouvimos ou lemos escutas e jogo sujo de bastidores dos dirigente de SLB e FCP. E do SCP? Ou a nossa comunicação social, consumadamente verde (era bom era!), anda a poupar os nossos? Pelos dados reunidos até hoje, ao menos na corrupção relacionada com falseamento da verdade desportiva, leia-se arbitragens condicionadas, devemos ficar descansados. Se isto comprovadamente não é um “pormaiorzão”… Nem vou falar na confiança que as vitórias e avolumar da distancia face aos adversários permite, contrariamente aqueles que vêm os seus objectivos, muitas das vezes por razões alheias e injustas, cada vez mais difíceis de atingir… Vêem consecutivamente o seu esforço, dedicação e devoção arruinadas por decisões imerecidas. A consolidação da qualidade de jogo de uma equipa de qualquer desporto colectivo depende de muita coisa. Mas da mente, acima de tudo. Esta é que comanda o corpo. Os níveis físicos e qualidade técnica podem ser excelentes, sem auto-confiança… não se vai lá. É um ciclo vicioso, para uns positivo, para outros irremediavelmente negativo. Estando bem, com confiança, as coisas tendem a correr melhor.
Decisões da Liga, é o só fazer um rewind e constatar as raras posições favoráveis ao Sporting e comparar com as adversas. Olhem a rábula do corte transformado em bola atrasada e o critério adoptado pelo CA da Liga (com aquele presidente pseudo-sportinguista sem vergonha, à cabeça) é um belo exemplo dos malabarismos que se dão para tentar, repito, tentar sem conseguir, explicar e provar que os nossos protestos não têm razão de ser. Até se altera o espírito e a prática de uma lei que até então era, para todos, inequivoca. Altera-se em Portugal, claro, porque do resto do mundo chegam notícias de gente entendida a contrariar a tal interpretação livre dos dirigentes do futebol nacional…
Depois há a onda de lesões, que veio irremediavelmente reduzir a qualidade do plantel, e consequentemente a qualidade de jogo… Há que estar preparado para essas contigências, já estão alguns de vocês a pensar, mas parece que o destino logo escolheu precisamente duas das posições em que o plantel mais carenciado se apresentava: Ponta de Lança e Lateral Esquerdo/Direito. Sim, a sorte ou azar, como lhes quiserem chamar, também entram nestas contas! E este ano, é insofismável que não temos sido particularmente felizes.
A questão da(s) licença(s) para urbanização dos terrenos por parte do Município alfacinha que se arrasta sem fim à vista. Dois pesos duas medidas… Uns são filhos, outros enteados! Mais uma vez, aos nossos vizinhos desbloqueou-se a situação com uma emergência inusitada. Para uns dá-se primeiro o capital e depois logo se vê, para outros, primeiro há que cumprir com um rol infinito de formalidades e burocracias e mesmo depois destas confirmativamente ultrapassadas, adia-se a decisão sine die… Bago, Pilim? Nem vê-lo… Pois, o cacau também auxilia nas compras de melhores atletas e, mesmo que para ai não fosse canalizado, faz falta a todos. E ao Sporting então… E não é só o que se deixa de receber, é também o que se perde por não estar disponível em tempo útil.
Bom, poderia aqui arrastar o post com mais alguns exemplos, mas para não o tornar muito maçador vou de seguida concluir afirmando o seguinte: temos que melhorar e muito internamente, isto é indiscutivel, mas por si só não resolve. Não estamos sozinhos. Até podemos concluir a tarefa de organização satisfatoriamente, ter os melhores dirigentes do mundo, o clube estar fantástico em todos os aspectos e mais algum, que permanecemos “metidos” neste mundo podre que tem sido o futebol em Portugal nas últimas décadas. É aí que urge DIGLADIAR e tentar alterar alguma coisa. Não vamos combatermo-nos ferozmente e esquecer tudo o que TAMBÉM nos tem impedido de vencer com maior frequência. E, quer-me parecer, que há muito bom sportinguista que nas últimas semanas esqueceu isto. Cometeram-se erros no nosso clube? Alguns, inclusivamente com gravidade? Sim, é verdade, mas não creio que os outros tenham feito tudo perfeitinho…
Com estas guerras internas, com estas lutas a eternizarem-se, para além de pouco ou nada trazerem de benéfico ao Sporting, quem se ri são os nossos adversários e quem aproveita são os mass media impregnados de “patos” e outras “aves”, uns para “gozar o prato” e retirar dividendos para o clube da sua simpatia, outros dispostos a manter o joguinho indecoroso e imoral dos mandantes e restante "clero" deste futebol português.
A hora é de reunião em torno da equipa. Não pelos actuais dirigentes. Muito menos para promover X ou Y. É pura e simplesmente para o bem do nosso SPORTING! Porque neste momento é o que nos compete fazer a todos nós, que nos consideramos sportinguistas ferrenhos e que não desistimos de lutar. Nós, sim, contra tudo e contra todos! Às vezes até contra nós próprios.

4 comentários:

mpre27 disse...

ÚLTIMA HORA!!!

FÁBIO PAIM EMPRESTADO AO PAÇOS DE FERREIRA!

BOA SORTE, PUTO! DÁ-LHE COM A ALMA! NA PRÓXIMA ÉPOCA ESPERAMOS-TE CÁ.

Armando Silva disse...

Concordo em absoluto com tudo o que escreveu amigo, o momento é de unidade e não de criar mais problemas... Nisso, como em muitas outras coisas Paulo Bento foi mestre ao dizer que o importante é não criar mais problemas ao Sporting. E como já vimos no passado, não basta uma mudança de direcção, é preciso pessoas de confiança e qualidade para ocupar tal cargo, e de momento não vejo ninguém assim disponível.

Cumprimentos.

mpre27 disse...

É essa união que esperamos ver já no Sporting-Porto.

ps: não percebo como há gajos (já vi comentários em vários blogs) que se lembram de pedir que os adeptos não compareçam, em sinal de protesto à direcção... E eu que pensava, que quando ia ao estádio, era para apoiar a equipa...

Um abraço!

Armando Silva disse...

Tem toda a razão amigo mpre27...