segunda-feira, 10 de março de 2008

Isto Custa!

"No seu centésimo jogo, não chegou o esforço do exemplar capitão"

Vitória de Guimarães - 2 ; Sporting - 0

Ponto prévio: apesar das incidências em torno do jogo, há que reconhecer mérito nas vitórias quando estas sorriem de forma justa aos nossos adversários. Foi o que sucedeu ontem no Estádio D. Afonso Henriques, estádio com nome ilustre e que alberga o, já nem tanto, surpreendente Vitória de Guimarães, que ontem reforçou a sua 3.ª posição.

Quando assim é, não vale a pena apresentar absolvições para a derrota. Perdemos porque o Vitória foi melhor. Custa muito perder, mas assim custa, talvez, um poucochinho menos.

Mas, já vale a pena notar, e isso é que me custa, o critério arbitral que existe neste “cantinho à beira mar plantado”, ou melhor, a falta completa do dito. Palavra de honra que às vezes o único critério que parece adoptar-se é: só se aplica se for contra o Sporting…

Sabem o que realmente me custa? Ver um jogador ser praticamente crucificado, inclusive por alguns dos nossos apaniguados, por um lance que interpretou correctamente e que se repetiu ao longo da mesma competição de forma bem mais clara, sem nunca mais ter sido sancionada… Como ontem com Nilson que não hesitou em segurar uma bola que, esta sim, lhe foi atrasada a 2 metros da grande área e não de quase do meio campo, sem passar por mais ninguém e sem ter nenhum jogador adversário a disputar a bola com o colega que a atrasou. Qual foi a opção de Nilson? A mesma de Stoykovic, com a diferença de que entre os dois lances, se algum deles teria que ser admitido como atraso, era sem dúvida este ultimo… Penaltys e foras de jogo, nem vale a pena fazer exercícios de memória, tal é a disparidade aliada ao disparate que a presente edição da Bwin Liga colecciona.

Por falar em Stoykovic, custa-me também que o crescimento de Rui Patrício se faça com continuada perda de pontos provocados pelas precipitações, passo o eufemismo, que vai cometendo… Em resumo, custa-me que a alguns não se “perdoe” nada e a outros se admita tudo. E esta última frase é particularmente incisiva, já que se aplica quer a clubes, quer… a jogadores dentro do plantel do meu próprio Sporting…

O jogo tem pouco que contar. O Sporting apenas se superiorizou aos vimaranenses no início da partida. Pareciam serenos, concentrados e com vontade em fazer algo de positivo. Mas, a partir dos 30 minutos, o Guimarães resolveu acelerar e colocar em evidencia as limitações defensivas, principalmente pelo corredor esquerdo dos leões. O intervalo aproximava-se e quando parecia que íamos ser salvos pelo gongo, eis que surge mais um lance fatídico de bola parada… Afinal de Sereno, só o autor do golo inicial!

Na segunda parte os leões simplesmente queriam, sobretudo João Moutinho, e não podiam… E o Vitória foi controlando o jogo a seu belo prazer. Foi pois, com naturalidade que chegou ao resultado final, nos descontos, em superioridade numérica e após desperdício de uma grande penalidade oferecida. Como se eles precisassem da ajuda do Lucílio… O tal que durante a semana foi acusado de sportinguismo exacerbado pelos dirigentes vitorianos. Estão a ver como se faz, senhores dirigentes leoninos?

Chegados que estamos a Março e após 42 jogos oficiais, levamos, exactamente, metade dos jogos concluídos com êxito. Os números não deixam mentir: é indisfarçável a má época do Sporting! 50% de vitórias é péssimo e ou isto leva uma volta muito grande até fins de Maio, faltam dois meses, com conquista de títulos incluída a amenizar a matemática, ou, estamos perante uma das piores performances do Sporting nas ultimas décadas. Numa palavra: um autêntico descalabro…

Mas como nem tudo foi mau, valha-nos ao menos a Naide Gomes a dar mais um título mundial ao atletismo nacional e sportinguista. Só não se apregoa aos sete ventos que é atleta do Sporting, como acontece com a publicidade que se dá ao clube do agora bronzeado…

"Orgulho leonino"

5 comentários:

Visconde disse...

Realmente os números não mentem, a época leonina é má demais e o que deixa ainda mais preocupado é que ainda não terminou.
Uma vénia à Naide, a única que soube representar condignamente o nosso Sporting.

SL

Armando Silva disse...

Nem mais caro amigo, o resultado foi do mais justo que já vi este ano, o Vitória não só foi melhor como foi muito melhor... Jogou, brilhou e mereceu claramente vencer... Agora é um facto irredutível que muito do mérito do Guimarães esta no nosso demérito de fazer melhor, não que ganhássemos o jogo se jogássemos mais, mais pelo menos daríamos maior replica a um Guimarães muito difícil de bater em casa!!!

Grande abraço

Akinol disse...

See Here

8 disse...

E voltaram as crendices:

Assinado V. Bernardino - pode ser que seja da assinatura e que a sorte mude.

Tudo vale para ver se a sorte do nosso Sporting muda.

Força Bernardino, saudações leoninas

Virgílio Bernardino disse...

"Assinado V. Bernardino - pode ser que seja da assinatura e que a sorte mude"

LOL.. Desta vez não foi por crendice, caro 8!

Mas agora que fala nisso, retenho aquilo que afirmou aqui há uns tempos atrás, que esta época serviria pelo menos para eliminar todas as superstições que tivéssemos ou inventássemos. Eu já sigo pelo mesmo diapasão!


SL!