terça-feira, 2 de outubro de 2007

A aposta


Na empresa em que trabalho, existem alguns trabalhadores ucranianos. O Ihor (lê-se Igor) é um daqueles com que contacto mais frequentemente. A nossa relação começou a estreitar-se pouco depois de ter chegado e a partir d'um determinado momento em que ele entra pelo meu gabinete adentro a pedir-me se o ajudava a “arranjar” um cartão fast da Galp… uma vez que os litros e litros que gastava de gasóleo eram um desperdício sem aquele cartãozinho que, através da adição sistemática de pontos permitia, segundo ele “obter uns prémios muita bons ”! Eu logo acedi, sob condição do cartão ser um fast foot fan do..Sporting, claro! Foi o pretexto ideal para começar a minha evangelização, julgando eu que ao fim deste tempo todo o tinha convertido…

Até hoje… Quando vejo o “sacana” do Ihor entrar esbaforido pelo gabinete a apostar comigo um jantar em como o Dínamo de Kiev ía conquistar quatro pontos ao ganhar hoje e empatar em Alvalade. Eu aceitei o desafio e, para não dar parte de fraco (ah Leão!), aumentei logo a parada para seis pontos conquistados pelo Sporting!

Mas não julguem que falhei completamente a doutrinação, quando se afastava sai-se ainda com mais esta: “E o Shaktar vai ganhar os seis pontos aos Lampiões”, afirmou apressadamente enquanto me dirigia um sorriso largo e cúmplice…

Caraças, estou convicto que hoje não perco a aposta…

3 comentários:

Minerva McGonagall disse...

Yeap e hoje ganhaste mesmo. Resta esperar pelo jogo aqui em Alvalade onde com certeza iremos também ganhar.

O 7 Maldito disse...

Começa a escolher o restaurante onde o amigo Igor vai abrir os cordões à bolsa, eheheh!

Visconde disse...

O Sporting foi a Kiev fazer história. Para além de ter garantido 3 importantes pontos na luta pela qualificação, pela 1ª vez na sua história os leões conquistaram uma vitória forasteira na competição e logo com um golo do melhor jogador leonino do momento, Polga, o seu 1º de sempre e que ficará na história.
Foi uma vitória justa, sofrida e suada de uma equipa madura que soube controlar quase sempre o seu adversário e que com um pouco mais de eficácia teria repousado mais cedo.