sexta-feira, 11 de abril de 2008

Não se pode apagar o post que antecede este?!

É que saiu tudo exactamente ao contrário do que previra… Bem, tudo, tudo não! Que já revelava algumas preocupações, nomeadamente na seguinte passagem “Polga não joga e já se sabe que, Gladstone não nos deixa propriamente confiantes”…

Foi por ai que começou a derrocada. Já se estava a ver que a filosofia de jogo desta espécie de avestruz ia dar mau resultado. O permanente “vai lá tú se não eu falho” do Sadstone deu origem ao 1.º golo daqueles coxos, logo quando finalmente, o Sporting começara a dominar e a causar calafrios na defesa adversária. Que esperar dum jogador que passa o jogo todo a esconder-se e que não arrisca um domínio de bola nem quando está sozinho. Bola vem? Bola vai… Bom, sempre pode juntar-se à Michelle Brito e jogar ténis, que faz muito mais o seu estilo. Mas, mais coxos que aqueles coxos, são os nossos coxos que em 180 minutos de, vamos lá ver como é que eu vou chamar a isto, pois, hummm, pronto cá vai: de futebol, não conseguiram marcar um mísero golo a uns…coxos! Confusos? Também eu! Nem sei para quem me hei-de voltar… Se para o selecto Senhor Presidente quando faz as declarações parvas que faz e a consequente triste figura, se no treinador que continua a teimar incompreensivelmente e a perder objectivos atrás de objectivos, se para alguns jogadores que entram, novamente, para um jogo decisivo sem um pingo de ALMA… Dos adeptos é que não, que se portaram à altura…

Escrevia eu ontem, que se o Miguel Veloso engrenasse, o resto surgiria por acréscimo. De uma forma natural. Mais uma vez estava redondamente enganado. Não que não considere Miguel Veloso um jogador nuclear na estrutura de jogo deste Sporting, nem que não tenha correspondido no jogo de ontem. Não é isso. O problema foi mesmo ter sido o único e o Moutinho, o Izma e o Roma não terem acrescido com algo de positivo. Bom, não vale a pena andar cá com eufemismos, a verdade é que não jogaram pevide… Na frente um ausente Vuk e um Levezinho ao estilo trapalhão que de vez em quando já nos presenteia, justificaram a nulidade do resultado e mais uma tremenda desilusão. Tonel não repetiu a exibição da semana passada e Grimi, que apesar de tudo arriscou, perdeu-se a tentar fazer de extremo.

Se custa sempre perder, muito mais doloroso se torna quando a derrota acontece com uma equipa banal como esta do Glasgow Rangers.. Até o emblema é abominável, caraças. Onde é que já se viu um leão vermelho? Em resumo, nova despedida inglória duma competição na época 2007/08.

Quando, finalmente parece que as coisas se vão endireitar, levamos com uma porradona na cabeça ainda mais violenta que as anteriores… Até quando, Sr. Filipe Soares Franco? Até onde, Sr. Miguel Ribeiro Teles? Porquê, Sr. Paulo Bento? Até perder a Taça de Portugal, o acesso directo e o direito que a 3.ª posição confere em disputar o acesso à Champions League através duma eliminatória, certamente… Há, já me esquecia, mas acho que o 3.º lugar não era um dos objectivos… Por enquanto…

É um sofrimento contínuo ser-se Sportinguista por estas alturas… E é preciso gostar muito de um clube para não atirar com tudo às malvas… Mais do que um murro na mesa, o que está mesmo a faltar é um murro no estômago e um par de pontapés nalguns traseiros! E há alguém lá dentro capaz disso? Não creio e a coisa já lá não vai de outra forma…

Que esperar do resto desta época? Que chegue depressa ao fim…
De derrota em derrota até à derrota final, Eis o destino desta triste época.

2 comentários:

Armando Silva disse...

Pois é caro amigo, apagar o ultimo post é o que todos criamos, pois apesar do resultado da primeira volta ser muito perigoso, ninguém contava com este desfecho, ou melhor, ninguém esperava que o Sporting fosse não "pequenote" ao ponto de fazer exactamente tudo o que o Rangers cria que nós fizéssemos... Tivemos azar mas não só...

Grande abraço amigo

mpre27 disse...

A pluralidade de pontos de vista é salutar e, normalmente, leva-nos às melhores soluções. Quanto ao Bento, mantenho a crença. Após o jogo de quinta-feira também me sentia de rastos. Mas depois tomei umas pastilhas milagrosas (resultam sempre) e a coisa recompôs-se.

Abraço Leonino!